quarta-feira, 6 de abril de 2011

"Não há longa noite que não encontre um dia." (William Shakespeare).

Voltei aqui hoje pensando em “desligar” o blog, mas além de me deparar com alguns novos comentários muito queridos, me lembrei do quanto esse espaço me serve como álbum. Álbum de uma vida de altos e baixos como a de qualquer outra pessoa, mas mais que isso, meu álbum de rumo, de projeções, tanto de quem eu sou,quanto de quem eu gostaria de ser;
E é por ele que eu me guio sobre coisas que são importantes e não posso deixar simplesmente, e é por ele que eu as vezes me lembro de respirar fundo e acreditar que tudo vai ficar bem, e de um jeito que me faça feliz.
Porque hoje eu confesso, é só isso que eu quero. Só isso! E eu tenho 90% do que eu preciso, são só esses benditos 10% que teimam em escapar das minhas mãos. Mas são exatamente eles que fazem toda a diferença.

Oi de novo pra mim, que agora sonho com coisas novas, aceitos coisas presente, morro de saudade de coisas passadas.
Oi pra mim que assiste Grey’s todos os dias, e rabisca roupas que quer confeccionar.
Oi pra mim que ainda não sabe o que fazer com o que ainda sente por “dois posts atrás”. (suspiro).

Obrigado aos que ainda fazem parte da minha vida. E saibam, eu os valorizo demais.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

“Ser grandona”

Eu sempre tive um entusiasmo por moda difícil de explicar. E a palavra é exatamente essa: entusiasmo, eu era muito empolgada com tudo que envolvia, desde guardar revistas a dedais que pertenceram a minha bisavó, outro que era da minha tia vó que costurava também e o ultimo arrecadei de minha vó. Essa empolgação toda veio desde muito cedo; na infância quando ao invés de desenhar flores, sol, bichinhos.. eu desenhava vestidos; tanto na aula de desenho livre quanto em cartões que eu dava de presente a minha vó e minha mãe.
Hoje eu teoricamente faço parte deste universo tão almejado na infância e adolescência, é estranho, mas de repente me sinto tomada por aquela mesma vontadezinha de fazer tudo e ser a maior.
Novos projetos, alguns por conformidade, necessidade.. outros por felicidade... ta na hora de voltar a vê-la em coisas simples e pequenas, mas não necessariamente apenas ao que esta em meu alcance. De novo eu recomeço a buscar o que me motiva de verdade, o que aparentemente esta distante de mim.

Entre altos e baixos, calotes e oportunidades.... sem dúvida eu sei que posso e vou “ser grandona”

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

MuiNta

falta

Sem vontade de pensar em títulos


Ainda não cumpri minha lista, ainda não sei direito o que estou fazendo. Nem mesmo sentir falta do passado eu sinto; meu pensamento agora só foca no que eu quero e não sei que caminho seguir pra conquistar. Então fico estaqueada, fingindo calma quando na verdade estou conhecendo todos os limites do meu humor, ou falta de humor.
Eu adorava o natal, ou melhor... a estética do natal. E só hoje me dei conta que faltam poucas semanas para ele acontecer, e eu sequer notei as lâmpadas na rua, ou o reflexo das bolas do pinheiro.
Esse ano eu quero um presente como jamais quis qualquer outro. Eu só quero que tudo fique bem, e do jeito mais simples possível. Que minha vida volte a ter ritmo, e eu volte a gostar das coisas.

domingo, 21 de novembro de 2010

sábado, 13 de novembro de 2010

Pedindo pantera ... pro mundo!

Não registrei mais nada por preguiça, por felicidade, e por fim por não querer mais recordar momentos de não-felicidade.

Hoje deu vontade de escrever que sinto medos, medo de mil coisas que resumidas significariam medo de não ser feliz, principalmente de não ser feliz com o que eu acredito proporcionar felicidade.

Vivo uma fase de finalização, conclusão de algo que pra mim já foi a maior motivação da minha vida, e hoje, apesar de poder dizer que tudo valeu a pena, eu sinto pena de mim por ter passado por tudo que passei nestes últimos 6 anos pra hoje exibir um diploma. Falo exibir porque é isso que ele me inspira, já que as qualidades que eu esperava dele ainda não chegaram a mim. Foram seis anos, e eu não tenho a vida que imaginei que teria, não tenho o dinheiro, nem o emprego, menos ainda a animação que esperava ter. Meu único desejo é que esta falta de motivação seja passageira, que em algum momento eu seja compensada por ser uma idiota e ainda acreditar nas pessoas, por acreditar que ser honesto e ético vale a pena.

Tenho uma lista de pequenas felicidades a cumprir neste momento de descanso mental, na próxima semana após a apresentação do meu tcc eu ponho em prática.

Enquanto isso fico com meu medo, minhas agonias e meu distanciamento da maioria das pessoas que me cercam, principalmente por não me identificar com a maioria delas, ou notar que não importa o quanto eu esteja próxima, todos estão distantes.



Lista:

Cozinhar coisas divertidas

Assistir a todas as temporadas de Grey’s Anatomy

Voltar a fazer vestidos

Porres, muitos porres

Ser malvada com as pessoas

terça-feira, 7 de setembro de 2010

S2

"O amor jamais foi um sonho, o amor, eu bem sei, já provei, é um veneno medonho. É por isso que se há de entender que o amor não é ócio, e compreender que o amor não é um vício, o amor é sacrifício, o amor é sacerdócio"

Chico Buarque - Ópera do Malandro

terça-feira, 20 de julho de 2010

segunda-feira, 31 de maio de 2010

sexta-feira, 7 de maio de 2010